CITECA – Centro Investigação de Tecnologia Avançada

Projetos Autónomos

Projeto 1 | Aplicação de técnicas de Machine Learning e Deep Learning para classificação de imagens em tempo real

Projeto para desenvolvimento de framework para classificação de imagens de videovigilância capturadas em tempo real, com o objectivo de identificar se há um número de pessoas que ultrapassem a lotação máxima expectável para o local.
Com as limitações impostas legalmente para certos espaços, como por exemplo as decorrentes da pandemia Covid-19, pretende-se controlar automaticamente se a capacidade máxima permitida para um determinado espaço está a ser ultrapassada.

  • Objetivos: criar uma startup, recorrendo a fundos comunitários, para desenvolvimento, comercialização e
  • Orientação científica: João Almeida
  • Coordenação Técnica: Pedro Garrido, Paulo Monteiro
  • Parceria: Eng. Rui Silva (proponente)
  • Desenvolvimento: pela equipa de Investigadores do CITECA e pelos estudantes da Licenciatura de Engenharia Informática do 3º ano.

Projeto 2 | Criação de uma Plataforma para Gestão de Associações de Estudantes

Com este projeto pretende-se criar uma plataforma suportada na Web, baseada numa Framework do tipo Django ou Web2Py, com o intuito de fazer a gestão de uma Associação de Estudantes de forma simples e transparente para o utilizador.

Objetivos: permitir uma gestão das atividades e eventos de uma associação de estudantes, através de uma interface apelativa e “user-friendly”, sem programação e com base em Templates pré-definidos.

  • Orientação científica: João Almeida
  • Coordenação Técnica: Ricardo Baptista e Paula Serra
  • Parceria: AEISTECP
  • Desenvolvimento: Tiago Santos com apoio dos membros da direção da Associação de Estudantes do ISTEC-Porto.
CITECA – Centro Investigação de Tecnologia Avançada

Projetos Internacionais

Projeto 1 | Desenvolvimento de simulador de evacuação de locais de diversão noturna, com recurso a jogos sérios, para captura e eliciação de comportamento humano, em situações de emergência.

1. DESCRIÇÃO
Participantes: Cooperação Internacional entre a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e o Instituto Superior de Tecnologias Avançadas do Porto (ISTEC-Porto).
Início: 01 de fevereiro de 2021.
Término: 31 de janeiro de 2026.
Coordenador: Prof. Dr. Rogério Cattelan Antocheves de Lima (UFSM) e Prof. Dr. João Emílio de Almeida (ISTEC-Porto).
Desenvolvimento: Estudantes da licenciatura de Engenharia Multimédia do ISTEC-Porto.

2. ENQUADRAMENTO:
Nas últimas décadas, ocorreram incêndios em locais de reunião de público, em casas de diversão notura, dentre os quais destacam-se os incêndios na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul (Brasil), no dia 27 de janeiro de 2013, que vitimou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridas; The Station, na cidade de West Warwick em Rhode Island (EUA), ocorrido no dia 20 de fevereiro de 2003, que causou a morte de 100 pessoas e centenas de feridos; na casa noturna República Cromañón, na cidade de Buenos Aires (Argentina), ocorrido em 30 de dezembro de 2004, causando a morte de 194 pessoas e deixando 1524 feridas e na casa noturna Cocoanut Grove, na cidade de Boston, Massachusetts (EUA), ocorrido em 28 de novembro de 1942, causando a morte de 492 pessoas e deixando muitas outras feridas.
As casas noturnas costumam ser locais amplos, com vários espaços, onde geralmente se concentram grande número de pessoas. A organização espacial da sua estrutura e espaços não costumam ser de pleno conhecimento do público, uma vez que são de utilização esporádica.
Os frequentadores, na maioria das vezes, são jovens que podem ter ingerido bebidas alcoólicas e, dependendo da intensidade de uso, podem ter suas capacidades cognitivas alteradas. Sabe-se que o álcool afeta o organismo humano, podendo causar redução da concentração, diminuição da capacidade de raciocínio, lentidão dos reflexos, prejuízos à condição motora, falta de equilíbrio e perda de memória.
Essas características podem ser bastante prejudiciais em situação de incêndio, em que naturalmente já há um contexto marcado por pânico, medo, angústia, cenário em que as decisões devem ser certeiras e onde o tempo é vital.
Uma vez que estas características podem interferir no tempo de evacuação, bem como no comportamento humano e na tomada de decisões durante os procedimentos de abandono, torna-se fundamental a realização de exercícios de evacuação com os ocupantes. Porém, tal não é viável, pois os clientes são de proveniências variadas e a organização de simulacros obrigaria a uma logística que não é compatível com o tipo de uso destes estabelecimentos.
Assim, propõe-se que seja utilizada uma alternativa aos exercícios de evacuação real, para o treino de equipas e frequentadores dos ambientes, ferramentas de simulação computacional, construídas com base em motores de jogos, que são menos onerosas e permitem alterar as restrições do ambiente, para avaliar diferentes condições de exposição ao sinistro.

3. OBJETIVO (S):
Simular, por meio de jogos sérios computacionais, a evacuação de pessoas em locais de reunião de público em situação de incêndio. Dentre as condições de exposição, pretende-se avaliar o efeito do álcool no comportamento humano quando do abandono e, com isso, auxiliar engenheiros e arquitetos a projetar ambientes mais seguros, bem como fornecer dados científicos para a atualização das normativas legais vigentes.

4. METAS:
As metas para a realização do referido trabalho são:

  • Modelar os cenários a serem investigados;
  • Testar a interface e realizar ajustes, se necessário;
  • Executar as simulações;
  • Analisar os resultados;
  • Publicar os resultados em revistas com elevado fator de impacto.

5. RESULTADOS ESPERADOS:
Espera-se com o desenvolvimento deste trabalho eliciar comportamentos humanos sob o efeito do álcool, por meio de jogos sérios, no processo de evacuação de locais de reunião de público numa situação de incêndio. E, dessa forma, observar a interferência nos processo de tomada de decisões, nas ações e nos comportamentos dos indivíduos, durante o abandono da edificação, e a sua influência no tempo de evacuação.